Para Take-Two, games não estão prontos para a realidade virtual

grand-theft-auto-5

Pelo jeito Strauss Zelnick não gosta mesmo dos dispositivos que prometem levar a realidade virtual para os games. Após criticar a tecnologia por considerá-la anti-social, o CEO da Take-Two concedeu uma entrevista à Bloomberg TV e ao ser questionado se a indústria está preparada para essa novidade, ele disse o seguinte:

Ainda não. Parte disso é que precisamos ver como os headsets se saem e como podemos entregar a melhor experiência… Estamos preocupados porque as pessoas jogarão nossos games por longos períodos – não queremos que elas fiquem enjoadas e também, tendo tido a experiência, não tenho certeza sobre por quanto tempo você irá querer um imersivo headset em sua cabeça.

O executivo disse então que o tempo nos dará essa reposta e se for isso o que os consumidores querem, a sua empresa está disposta a nos entregar essa experiência. Zelnick também fez uma revelação interessante ao dizer que a Microsoft já lhes fez uma demonstração do seu HMD, deixando clara as intenções da fabricante neste sentido.

O interessante nesta crítica é ela vir justamente poucos dias após o lançamento do Grand Theft Auto V na nova geração, já que o jogo possui um modo em primeira pessoa e muitas pessoas imaginaram como ele ficaria se jogado com um dispositivo de realidade virtual. Também me chamou a atenção a questão de ficarmos enjoados, pois a Oculus Rift mostrou essa preocupação recentemente e garantiu ter resolvido o problema.

Como tenho dito nos últimos meses, longe de mim querer ser profeta do apocalipse, mas ainda não consegui comprar a ideia de que a realidade virtual será um divisor de águas para os games. Não digo isso por torcer contra a tecnologia, mas esta não é a primeira vez que ouço essa promessa e talvez por temer me decepcionar, acho que estou contando com o pior e se o Rift, o Project Morpheus e qualquer outro HMD que aparecer forem bem sucedidos, não terei do que lamentar.

Fonte: IGN.

%d blogueiros gostam disto: