O caso dos 30fps nos jogos de PC

Os PCs para jogos são construídos para o desempenho bruto, ostentando especificações técnicas com muito mais potência do que o Xbox One e o PlayStation 4, abrindo uma grande variedade de opções de jogabilidade indisponíveis para os proprietários de consoles. Se gostam de jogos a 2,5K ou 4K a 60fps, 120fps ou ainda maior, o PC é o único formato com a flexibilidade para o oferecer isso. Mas isso não quer dizer que o padrão de 30fps nos consoles não seja um bom ajuste para certas especificações de hardware ou títulos específicos. Numa grande variedade de cenários, limitar o frame-rate pode resultar numa experiência de jogo significativamente mais suave. Há apenas um problema – apenas uma pequena parte dos jogos para PC oferecem a opção de rodar a 30fps bloqueados.

A maioria dos jogos de PC só tem um limitador de frame-rate disponível: ligar o v-sync. Assim ele tenta sincronizar a jogabilidade com a atualização de frame-rate, que na maioria dos casos limita o sistema a 60fps. A única alternativa é desengatar o v-sync, permitindo que o jogo seja executado de forma completamente desbloqueada. Não há sincronização com a tela, o que significa que o frame-rate é entregue assim que o GPU acaba de renderizar. Isso geralmente ocorre quando a tela ainda está atualizando, produzindo screen-tear e um desempenho completamente inconsistente – input lag e feedback visual pode variar de um momento para outro, muitas vezes produzindo uma experiência sub-par.

Bloquear a 30fps é a solução muitas vezes dada pelos produtores de consoles – mas porquê cortar o potencial do frame-rate ao meio numa plataforma que oferece tanta flexibilidade? Porque não fazerem algo como 40 ou 45fps? O problema aqui é que a atualização de tela a 60 por segundo não pode ser igualmente dividido por 40 ou 45 frames. Alguns frames ficam na tela por mais tempo do que outros, o que resulta em trepidação. O bloqueio a 30fps garante que cada frame renderizado persista por duas atualizações de tela e se apresente sem qualquer screen-tear. Combine isso com a implementação de um decente motion-blur e terá uma apresentação boa e consistente. Para saber mais sobre o porquê de 30fps ser às vezes a melhor opção, confira o nosso artigo dedicado que aborda diretamente o tema – será que um frame-rate alto significa sempre uma jogabilidade melhor?.

Read more…

%d blogueiros gostam disto: