Uncharted 4 é a evolução que estávamos esperando? 1


5 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 3 Pin It Share 1 LinkedIn 1 5 Flares ×

 

Digital Foundry apresenta a sua opinião sobre a demo de 15 minutos do jogo.

uncharted-4

A revelação da jogabilidade não fica muito mais emocionante do que isto. A demonstração deste fim-de-semana de Uncharted 4: A Thief’s End nos mostra a primeira demonstração estendida no motor de próxima geração da Naughty Dog em condições jogáveis – e isso é muito bom. Depois do teaser na E3, o jogo foi recebido com especulação e debate que viria a durar meses questionando se o nível de fidelidade visual poderia ou não ser alcançado em tempo real na geração atual de hardware. Esta nova demo de jogo de 15 minutos ajuda a responder a essa pergunta, ao mesmo tempo que nos mostra uma ideia do tipo de experiência de jogo que poderemos esperar. Será que o novo vídeo leva a melhor sobre o teaser trailer? Isto é realmente o verdadeiro Uncharted da próxima geração – ou é simplesmente uma evolução 1080p mais bonita da fórmula já existente?

A demo começa com uma visão ampla da selva enquanto a câmera lentamente se afasta para revelar Drake em toda a sua glória de próxima geração. No entanto, torna-se imediatamente claro que este não é totalmente o mesmo Drake visto na E3 2014. Enquanto a sua estrutura facial parece comparável, a qualidade do cabelo foi reduzida significativamente enquanto a iluminação e sombreamento não tem o realismo apresentado no teaser, e os detalhes da sua bandoleira e camisa também parecem não ter o mesmo detalhe. Ainda assim, a transição da cutscene inicial para a jogabilidade é perfeita, o que sugere que o Drake que vemos aqui é, pelo menos, o mesmo modelo usado durante o jogo. O tecido de cabelo e camisa se movimenta com a brisa, o que é bom para a ação, por isso, enquanto o impacto global parece estar um pouco aquém do teaser, Drake ainda está muito bem detalhado. Ele também parece um pouco mais jovem – isso poderá ser uma seção de flashback, talvez, ou simplesmente um ponto no jogo antes de Drake ter sido realmente colocado numa experiência difícil?

A nível técnico, estes primeiros momentos confirmam que estamos olhando para uma apresentação 1080p com um incrível anti-aliasing de alta qualidade. Não é tão limpo como o teaser trailer quase impecável da E3, mas os resultados parecem mais impressionantes do que qualquer outra solução que temos visto na plataforma até o momento. Edge-aliasing está praticamente eliminada, mas a nitidez é mantida enquanto aliasing temporal (pixel pop e edge shimmer) é mantida a um mínimo relativo. Alguns detalhes, como os esqueletos no início, o cinto de Drake e algumas das vinhas ainda mostram artefatos menores em movimento, mas, no geral, a solução da Naughty Dog adotada está visualmente impressionante. Nós estamos interessados em aprender mais sobre esse processo – a Sony compartilha a sua tecnologia internamente, por isso há uma forte probabilidade de vermos isso implantado em outros outros títulos.

Os próximos cinco minutos da demonstração levam o jogador num passeio por uma pequena caverna dando aos jogadores uma olhada na nova mecânica de passagem e as suas animações. Nós também demos uma olhada nos atualizados shaders da água, sombras dinâmicas e trabalhos de textura. À primeira vista, a travessia parece familiar, mas a animação recebeu um upgrade notável dando um pouco mais de peso nos movimentos de Drake. Além disso, as ferramentas que ele usa em torno de seu cinto para saltar está muito realista neste motor revisto. Quase imediatamente, Drake acende a lanterna, revelando algumas sombras dinâmicas, que aparecem, talvez, um pouco forte demais para seu próprio bem, junto com um pouco de pixellation quando se examina o esqueleto de um explorador caído. Neste ponto Uncharted parece forte e visualmente sólido, mas não parece uma grande evolução.

uncharted-4-001-playstation-e3

No entanto, seguindo em frente, Drake corre através de um grupo de inimigos – e é aqui que as verdadeiras mudanças e melhorias começam a tornar-se evidentes. Parece realmente que a equipe aprendeu muito desde a criação de The Last of Us, a nível de design – do que podemos dizer – parece muito mais aberto do que qualquer dos jogos Uncharted anteriores. Drake é atacado de todos os ângulos e em torno de uma série de formações rochosas. Tendo aprendido com muitos dos melhores jogos de ação furtiva, a nível de design parece apresentar um projeto open-ended dentro de uma estrutura linear – ou seja, é fornecida uma área grande cheia de inimigos e são dadas as ferramentas e habilidades necessárias para eliminá-los como desejarem. A verticalidade e fluidez é muito Uncharted, mas a liberdade aqui parece mais de acordo com algo como Crysis ou Metal Gear Solid 3. É claro que qualquer demo pode ser feita para ser emocionante, mas realmente parece que estamos olhando para muito mais níveis de design intrincado aqui, que é um resultado provável de um hardware mais poderoso.

A maior parte da demo tem lugar ao longo de um penhasco, onde Drake tira um número de inimigos do seu caminho. Esta área é um pouco mais impressionante do que a sequência inicial da caverna, com um dilúvio de vegetação reagindo suavemente pela brisa, igualmente às colisões com o jogador e os soldados inimigos. É um efeito bonito e que parece ter uma verdadeira utilização da jogabilidade, com Drake capaz de perseguir inimigos pelos arbustos. A distância da vegetação é vista extremamente longe, mantendo as suas propriedades reativas, mesmo a uma grande distância, mas há definitivamente algumas questões LOD que perduram, como um efeito feio usado para desaparecer detalhes dentro e fora do cenário.

Ainda assim, tão bonita como a vegetação do jogo é, as formações rochosas deixam um pouco a desejar neste momento. Embora o trabalho de texturas seja impressionante, notamos muitas arestas geométricas duras visíveis em todo o mundo de jogo, lembrando o trabalho da Naughty Dog no primeiro Uncharted. Nós suspeitamos que este é um compromisso entre estética e jogabilidade – os produtores precisam de alguma forma destacar as áreas atravessáveis, caso contrário, o jogador pode se perder. O trade-off é que essas arestas parecem quase artificialmente reforçadas, literalmente, destacando-se de uma forma que não se sente realista. Isso não é ajudado pelo fato de que muitas dessas áreas parecem carecer de propriedades de oclusão adequada, com pedaços e peças encaixando-se, sem qualquer tipo de contato da sombra.

Seguindo em frente, como um jogo de aventura, estamos certamente curiosos para ver que outros tipos de locais a equipe tem reservado para nós e como isso se traduz em novos materiais ao longo do jogo. Pelo menos este nível ao lado da falésia permite alguns elementos novos e uma jogabilidade melhorada: as opções de passagem adicionadas parecem fazer a navegação pelo ambiente mais interessante e dinâmico do que qualquer coisa na série até à data. Com a adição do novo equipamento de escalada, uma reminiscência de Tomb Raider de 2013, Drake tem agora mais opções disponíveis para a navegação pelo ambiente. Paredes rochosas são menos definidas pelos pontos de apoio específicos e permite uma maior escalada de forma livre, enquanto as novas mecânicas de balanceamento com a corda parece ser divertido. Impressionantemente, a deformação da corda apresenta qualidade excepcionalmente alta – quase como se estivesse usando tessellation de algum tipo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O argumento decisivo real para esse segmento é a exposição da IA. Os inimigos parecem ter rédea livre no ambiente desta vez, saltando entre as várias torres e trabalhando ativamente em conjunto. Há um sentido real de cooperação na demo que faz a cena parecer muito mais dinâmico do que as sequências de combate dos Uncharted anteriores. A jogabilidade furtiva parece ser uma grande evolução em relação aos títulos anteriores, com Drake capaz de escapar da vista dos inimigos só para voltar mais tarde com os seus próprios termos. Claro, nós não queremos ter esperanças depois da IA de The Last of Us ter diminuído em comparação com a sua demo de jogo inicial, mas há definitivamente um grande potencial aqui. Quanto mais realístico o Uncharted se torna, mais Nathan Drake se depara com um sociopata rabugento deixando um rastro de corpos no seu rastro. Se essa é a maneira que o jogador quer progredir, isso é bom, mas há aqui o sentido que a Naughty Dog está, pelo menos, oferecendo aos jogadores uma opção não letal – ou pelo menos algo reduzido – no jogo.

Há também melhorias feitas para os inimigos. Em Drake’s Fortune sentia-se muitas vezes como se estivéssemos matando clones dos mesmos piratas, mas pelo que podemos ver aqui, a Naughty Dog colocou uma maior variedade de inimigos. Parece haver mais modelos de base com combinações de roupa que varia entre muitos deles, junto com diferentes vozes, dando a impressão de que trata-se de pessoas diferentes, em vez de clones.

Uma série de outros detalhes ajudam a criar um mundo mais coeso. Um exemplo, vimos partículas de fumaça de uma granada recebendo adequadamente as sombras da geometria do mundo de jogo. Sombras de partículas tendem a ser um efeito bastante exigente mas realmente acrescentam realismo, quando utilizado corretamente. A par disso, os destroços levantados por esta explosão parece saltar ao redor da cena de uma forma mais realista. Quando Drake se molha, parece ter uma maior precisão que os anteriores, enquanto a sujeira e lama de forma mais realista adere ao modelo no local apropriado. A única omissão realmente decepcionante aqui tem que ser a falta de motion blur por objeto. Este tem sido um desafio de design visual da Naughty Dog desde Uncharted 2 (embora tenha sido adicionado numa atualização para o Uncharted 3, devido à omissão) por isso é decepcionante ver que está ausente nesta sequência. É claro que ainda é cedo e pode ser adicionado numa data posterior, mas sem ele, as coisas não parecem tão boas em movimento quanto gostaríamos.

O mais decepcionante, no entanto, é o frame-rate. Não muito tempo depois da E3 a Naughty Dog confirmou que teve como alvo os 60fps para Uncharted 4 e depois de fazer isso em The Last of Us, temos esperança que a equipe torne isso o padrão para os seus projetos do PS4. Infelizmente, como confirmou o Blog oficial, a demonstração estava rodando a 30fps estáveis. Ainda não está claro se isso se tornou no novo alvo do jogo, mas é certamente decepcionante após o teaser a 60fps impecáveis (assim sendo foi em tempo real ou não? Nós ainda vimos uma cotação on-the-record da produtora). No entanto, o jogo tem muito tempo de desenvolvimento, por isso não é impossível que a Naughty Dog ainda tenha como alvo os 60fps – mas gostaríamos de ver alguns esclarecimentos.

No geral, se esta demonstração é qualquer indicação, estamos na verdade olhando para algumas mudanças bastante significativas na jogabilidade devido ao mais complexo nível de design, IA melhorada e uma maior seleção de ferramentas. Na primeira vez que vimos o vídeo, Uncharted 4 parecia definitivamente como uma evolução iterativa, mas após o rever várias vezes, as melhorias tornam-se mais claras, o que sugere um verdadeiro salto em frente para a série – mas talvez não muito nas áreas que esperávamos. O fato de que a Naughty Dog foi capaz de entregar tal sequência de combate interessante sem recorrer a qualquer set-pieces, diz muito sobre o que o estúdio está tentando alcançar.

De certa forma, a demo inverteu muito as nossas expectativas. A Naughty Dog pode estar simplesmente mantendo um padrão por hora, mas os visuais vistos neste segmento de jogabilidade não são o espetáculo de fazer cair o queixo que esperávamos com base na promessa do teaser da E3. Claramente, a jogabilidade vista aqui é muito atraente, se um pouco subjugado no geral. No entanto, estamos surpreendidos com o grande número de mudanças significativas para o jogo que o estúdio apresentou neste segmento. As primeiras impressões podem sugerir uma experiência visual melhorada a 1080p para Uncharted – algo que apreciaria – mas será que a real evolução geracional está na forma como se joga?

Fonte: BrasilGamer


One thought on “Uncharted 4 é a evolução que estávamos esperando?