O que é necessário para rodar GTA 5 a 1080p60?

0 Flares 0 Flares ×

O que é necessário para rodar GTA 5 a 1080p60?

Finalmente chegou. 18 meses depois de Grand Theft Auto 5 ser lançado na geração anterior, a oportunidade para viajar em Los Santos a 60fps é agora uma realidade no PC. As versões para PlayStation 4 e Xbox One podiam rodar já a 1080p, mas este esforço no PC adiciona várias opções que levam as coisas mais além, suporte para resoluções até 4K, melhores efeitos e distâncias de visão maiores. Mas funciona bem?

O que é preciso para rodar GTA5 a 1080p60 para igualar as definições gráficas de console? Para responder a isto, testamos o jogo com várias placas gráficas de vários preços. A mais barata é a GTX 750 Ti da Nvidia, ao lado da R9 280 e 290 da AMD, enquanto no topo temos uma GTX 780 Ti. Cada uma ao lado de um quad-core Intel i7 4970K, com 16GB de RAM e um SSD rápido para suportar a instalação de 64GB.

Mas quatro placas gráficas num PC de topo não é completamente justo. Além deste processador i7, temos também um Core i3 4130 – processador 3.4GHz, com 16GB de memória. No total são 4 gráficas, 2 PCs e um total de 8 combinações para testar. Qual o caminho mais eficiente em custos para chegar aos 1080p60?

A GTX 750 Ti é a primeira, uma das melhores em relação preço por poder. Com o driver 350.12 da Nvidia instalada, colocamos as definições no alto. Isto mantém funcionalidades DX11 como tecelagem e erva de alta qualidade, as definições de população e scaling a 50% para minimizar o pop-in. Fica perto do que temos no PS4 e One, FXAA ativada, e selecionada a opção mais suave para sombras. Curiosamente, tal como nos consoles, uma estranha cascata de filtros corre por todas as sombras independente da definição escolhida, mesmo tendo filtro anisotrópico 16x ligado.

1920×1080, FXAA, High, 50% distance scaling GTX 750 Ti (Lowest/Average FPS) R9 280 (Lowest/Average FPS)
Core i3 4130 42.0 / 59.1 34.0 / 61.0
Core i7 4970K 47.0 / 86.0 73.0 / 92.8

Com o nosso i7 4970K temos perceptuais 50-70fps na 750 Ti, surgem quedas maiores na baixa. Em high para texturas e shaders, o orçamento da RAM é de 2024MB dos 2047MB da placa gráfica – ficando mesmo no limite. A boa notícia é que isto mostra uma resolução de 1080p com estas definições, mas ao baixar as sombras para normal existe espaço para ter perfeitos 60fps.

A situação muda um pouco no i3 4130. Como esperado, passar para um dual-core a 304GHz é um problema na renderização de cidades, e conduzir em alta velocidade em ruas movimentadas causa maiores quedas para 50fps. Os 60fps ficam mais estáveis ao reduzir as distâncias de visão e densidade populacional para 20%. Mesmo baixando as definições para normal, apenas recuperamos alguns frames nestes pontos de stress. No geral, não vale o sacrifício nos gráficos, e em high a 750 Ti produz 60fps na grande maioria do tempo, mas não é perfeito.

Pelo lado positivo, a 750 Ti fica muito melhor ao lado de um CPU mais barato do que a rival AMD R9 280. Apesar de custar mais, a placa não está pronta para 1080p60, mesmo com tudo no mínimo. Ficando no máximo, temos frequentes descidas para 35fps, novamente apontando para problemas nas placas AMD em conjunto com CPUs mais fracos. Ao contrário da Nvidia 750 Ti, um bloqueio a 30fps é preciso para ter 1080p e algo perto das definições de console.

Passando para o i7 4970K temos uma diferença do dia para a noite. A R9 280 consegue as definições máximas e na prática sobra memória suficiente para adicionar texturas, partículas, relva e tecelagem very high, e 2x MSAA conseguindo suaves 60fps. Isto consome 2.5GB dos 3GB GDDR5 da placa gráfica, mas colocar a densidade do mundo a 100% corta os níveis de performance, tal como os efeitos pós. Em high, o frame está numa outra categoria dos da 750 Ti, mas um processador i7 é obrigatório.

1920×1080, 2x MSAA, Very High, 100% distance scaling R9 290 (Lowest/Average FPS) GTX 780 Ti (Lowest/Average FPS)
Core i3 4130 30.0 / 56.2 40.0 /63.4
Core i7 4970K 54.0 / 70.2 57.0 / 78.0

Os drivers 15.4 da AMD são cruciais. Passando para a R9 290, a performance gagueja muito nos drivers 14.12 padrão, e ganhamos até 20fps ao atualizar. Desta forma, os 60fps são fáceis para esta 290 num i7 4790K, mesmo em very high, 2x MSAA e opções a 100%. Efeitos pós de ultra qualidade são alcançáveis sem grande penalidade. Fixar a 1080p60 é o equilíbrio certo para esta placa gráfica; fantástico tendo em conta o preço, e com gráficos melhores que os do PS4.

Tal como a parente mais barata, a R9 290 tem dificuldades ao lado de um i3. Baseado nos diagnósticos MSI Afterburner, todos os quatro processadores rodam entre 90-100% ao conduzir por Los Santos, indo ao máximo um de cada vez. Quedas abaixo de 60fps são uma realidade nesta placa gráfica mesmo que baixem as definições. É mais fácil salvar a performance aqui do que na 280 baixando simplesmente para high, mas não alcançamos o frame. É algo surpreendente tendo em conta os resultados que consegue num i7.

A GTX 780 Ti ao lado deste CPU mais barato tem menos problemas. Os gargalos continuam surgindo em áreas com muita densidade, áreas afetadas pelas físicas, mas conseguimos os 60fps baixando a escala populacional e efeitos para high. Raramente vemos uma placa gráfica deste preço ao lado de um CPU deste calibre, portanto é um esquema muito hipotético.

Num sistema i7 tudo é possível. Aqui a questão não é se consegue 1080p60, mas sim quais os efeitos que quer acrescentar. Tal como na R9 290, existe espaço para introduzir efeitos superiores além do padrão very high, mesmo opções avançadas como sombras de melhor qualidade. Tudo a 60fps, apenas roça a barreira RAM do jogo, 3016MB dos 3071 disponíveis. A barra de sclaing de distância é algo que não podemos mexer aqui, cada porção precisa de muita memória que começa a afetar a performance. É aparente que isto seja para as GPUs colossais como a Titan X, bem-vinda para os que tiverem processamento à altura.

O que é necessário para rodar GTA 5 a 1080p60?

Ao todo, GTA5 no PC é um esforço altamente adaptável que dá à maioria dos conjuntos uma opção para rodar o jogo. De placas gráficas baratas às de entusiasta, a capacidade de adaptação é excelente e sempre com a ajuda das opções gráficas do jogo. O único contra é que o jogo precisa de CPUs de várias linhas e rápidas para a IA e tarefas relacionadas com as físicas – apesar de estar melhor optimizado que GTA 4 no PC.

Num futuro confronto vamos dissecar as forças visuais do CPU sobre os consoles, mas em termos de performance, a Rockstar cumpre seu objetivo. Alguns bugs não deixam tudo perfeito, tais como um curioso limite de 59Hz (ao invés dos 60Hz padrão) que causa um leve gaguejo no gameplay com v-scyn. Problemas no sistema de sombras persistem, mas os resultados mesmo com equipamento barato ainda vencem o PS4 e o One. A 750 Ti ao lado do i3 é um sucesso – componentes de um PC, onde 1080p60 em high é alcançável.

Inserindo um i7 quad-core, o prêmio de melhor performance por preço vai para a R9 290 em very High. Custa menos que a 780 Ti, fazendo sentido optar pela AMD neste nível devido a pequena diferença no frame. Devemos dizer que a AMD apenas é viável com componentes de topo, especialmente um CPU forte. Seja qual for a opção, gameplay a 60fps e distâncias de visão maiores no PC, tudo fez com que valesse a pena esperar 18 meses.

Fonte: Brasilgamer

%d blogueiros gostam disto: