Como a Nintendo está tentando expandir suas franquias

1 Flares 1 Flares ×

bayonetta

Você certamente já ouviu algumas pessoas defendendo a ideia de que a Nintendo deveria começar a vender jogos para tablets e smartphones, estratégia que a empresa há muito tempo acredita não ser a melhor, já que perderiam aquilo que é o seu grande diferencial, a exclusividade.

O problema é que manter seus jogos presos aos consoles e portáteis pode ter um péssimo impacto a médio/longo prazo, já que o número de crianças que estão migrando para essas novas plataformas tem crescido consideravelmente e a própria Nintendo admitiu que precisava encontrar maneiras de expandir suas marcas. Mas isso está mesmo sendo feito? Podemos dizer que sim.

O exemplo mais nítido neste sentido e que mostra que nenhuma declaração é definitiva na indústria de games é o do Pokémon Trading Card Game Online, título de cartas lançado para o iPad e que além de explorar uma das franquias mais conhecidas da BigN, tem servido também para evangelizar novos jogadores, figurando entre os aplicativos mais baixados da App Store, mas curiosamente sem dar um retorno financeiro considerável. No entanto, chego a pensar que este talvez nem seja o objetivo principal da empresa com este jogo.

Pokémon-Trading-Card-Game-Online

Porém, nós sabemos que UM jogo para dispositivos móveis é pouco para uma companhia com séries tão conhecidas e é aí que entra uma jogada muito interessante que á Nintendo tem realizado e que muitos parecem não estar dando muita atenção, que é emprestar seus personagens para outras franquias.

Claro, isso não quer dizer que deveremos esperar uma participação do Mario em um Ratchet & Clank ou vermos a Samus ajudando o Master Chief a aniquilar alienígenas, mas você reparou como tem crescido o número de participações especiais de personagens da Nintendo em jogos exclusivos para Wii U e 3DS?

Veja só, além do relançamento do Bayonetta, que contará com homenagens às franquias Metroid, Mario Bros. e The Legend of Zelda, a sua continuação também terá um estágio que funcionará de forma idêntica ao Star Fox e esta semana ficamos sabendo que outro jogo contará com a armadura da famosa caçadora de recopensas, estou falando do Monster Hunter 4 Ultimate, para 3DS.

Outro exemplo que merece ser citado é o do Hyrule Warriors, que ao entregar um Dynasty Warriors com a roupagem de um universo de uma franquia tão popular, claramente tenta conquistar jogadores que talvez nunca tenham tocado em um The Legend of Zelda.

Na minha opinião, o que a Nintendo pretende com isso é fazer com que tais franquias se tornem mais conhecidas, mesmo por quem não costuma jogá-las e embora caiamos no problema dessa exposição estar limitada às suas plataformas, temos que considerar que nem todos que jogarem um Bayonetta ouviram falar de Fox McCloud e cia, da mesma maneira que nem toda a molecada que se aventurar por um Monster Hunter teve a oportunidade de jogar um Metroid (que diga-se de passagem, precisa urgentemente receber novos jogos).

Também é importante salientar que não é de hoje que a Nintendo empresta seus personagens para outros jogos, como aconteceu por exemplo no SoulCalibur II para GameCube, onde podíamos jogar como o Link, mas acredito que a empresa japonesa nunca precisou tanto dessas participações especiais.

Se essa forma barata de propaganda dará resultado, somente o tempo dirá e talvez nunca tenhamos como mencionar isso muito bem, já que que seria algo quase subliminar, mas acho que eles estão corretos ao apostar e no fim das contas todos podem sair ganhando, desde os jogadores que poderão aproveitar seus personagens favoritos em outros games, até as desenvolvedoras, que ganham veem suas criações ganhando reforços de peso.

The post Como a Nintendo está tentando expandir suas franquias appeared first on Meio Bit.

%d blogueiros gostam disto: